Conheça os maquiadores oficiais das marcas brasileiras de maquiagem

Conheça os maquiadores oficiais das marcas brasileiras de maquiagem

Você chega nas lojas e encontra aquelas maquiagens lindas, em coleções magníficas, com a escolha perfeita dos tons e texturas Mais »

HAIR BRASIL chega a 16ª edição apresentando novidades de 900 marcas expositoras e com 200 eventos educacionais

HAIR BRASIL chega a 16ª edição apresentando novidades de 900 marcas expositoras e com 200 eventos educacionais

A 16ª edição da HAIR BRASIL – Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética acontece de 21 a 24 de Mais »

Diversidade cultural: Conheça as diferentes festas de carnaval do país

Diversidade cultural: Conheça as diferentes festas de carnaval do país

Estamos a pouquíssimo tempo de iniciar o carnaval (os mais adiantados já estão caindo na folia) e se tratando da Mais »

#Teste: Quem é você no Carnaval?

#Teste: Quem é você no Carnaval?

Chegando o carnaval, e os preparativos parecem infinitos. Entre os mais imprescindíveis, paira a dúvida: qual fantasia tem mais a Mais »

Fantasia de Carnaval: Faça Você Mesmo

Fantasia de Carnaval: Faça Você Mesmo

Estamos há uma semana do feriado mais alegre do ano! E pra você que cansou de comprar fantasia e quer Mais »

Confira uma lista com 11 itens indispensáveis para o carnaval

Confira uma lista com 11 itens indispensáveis para o carnaval

Esse ano a nossa equipe resolveu caprichar nas dicas para a galera aproveitar o carnaval cheio de estilo. E como Mais »

Category Archives: Entrevistas

Geisy Arruda revela seus segredos de maquiagem no SPFW

Geisy

Convidamos a Geisy Arruda para bater um papo bem interessante sobre os seus dotes de beleza. Como uma verdadeira celebridade, a loira contou que lança mão dos truques que aprende com seus maquiadores e tenta copiar o look das famosas. Descubra agora o que Geisy faz com seus pinceis.

Closet: Geisy, conta para a gente o que você sabe fazer de maquiagem.

Geisy: Ah! Como boa amante da maquiagem que sou. Não saio de casa sem fazer uma boa pele e uma boca vermelha. Brinco com meus amigos que quando estou com bocão é porque eu me arrisquei a fazer a maquiagem sozinha. E olhe que o resultado não deixa a desejar, viu? Tem até gente que fica olhando. Mas eu sempre confesso que não sou muito boa nisso e prefiro sair feinha, mas com a humildade de assumir que eu mesma fiz.

Closet: O que você não gosta na hora de ficar bonita?

Geisy: Tenho horror a olho preto. Muita gente até critica, mas o que eu não gosto é de ficar com cara de travesti. Eu já sou produzida demais, né?! Deixa eu ficar um pouquinho mais discreta. Sou tímida com maquiagem e gosto de um olho delineado. Mais suave. É até mais fácil para retocar e fazer isso sozinha.

Closet: E tem algum truque para realçar a sua beleza para dividir com a gente?

Geisy: Meu amigo, Fernando Torquatto, disse que as minhas bochechas são lindas e que muita mulher daria tudo para ter iguais. São bem evidentes, você está vendo, né? Mas eu uso um blush mais bronzeado para deixar natural, sem muito brilho. Como não sei nada de contorno, eu passo mesmo de levinho para não parecer uma maluca (risos).

Closet: Nesse calor, Geisy, o que você está fazendo para ficar bonita?

Geisy: Eu já estou bem acostumada! Na TV, a gente sempre brilha muito. E como sou uma estrela, levo meu próprio pincel para espalhar um pouco de pó e manter a maquiagem por mais tempo. Também invisto em bons produtos, pois qualidade é super importante para eu me sentir bonita. Até o meu spray de fixar maquiagem é do melhor.

Closet: Você gasta muito com maquiagem?

Geisy: Confesso que sou consumista. Mas na hora da compra, a qualidade e a opinião das minhas fãs fazem a diferença. Ouço muito o que elas falam nas redes sociais sobre a minha beleza. Não me importo em gastar R$100 num batom desde que esse seja “O” batom! Toda mulher tem um pouco desse pensamento. Com maquiagem, não se brinca, é assim que vão me ver.

Closet: O que você gostaria muito de aprender no mundo da beleza?

Geisy: Eu adoraria saber colar cílios postiços. Sou meio burrinha na hora de passar a colinha e botar no lugar certo. Sempre me borro e estrago toda a maquiagem. Acabo me atrasando e já desisti de tentar sair de cílios postiços sozinha. Peço para meus amigos maquiadores passarem muita cola para a beleza durar uns três dias (risos). Brincadeira! É que toda mulher gosta de se sentir desejada e cílios deixam o olhar tão feminino, tão sensual. Ah! E eu gostaria de saber mexer mais no meu cabelo. As tranças estão na moda e tenho medo de arriscar porque meu mega hair é fio a fio e é extremamente delicado. Sempre recorro a um bom profissional.

Nos bastidores, a estrela provou que tem jogo de cintura e muita simpatia. Acabou pedindo para ter aulas de maquiagem particulares. A gente adorou!

#Castelo20Anos – Saiba tudo sobre a exposição do Castelo Rá-Tim-Bum que abre nesta quarta em SP

O Castelo Rá-Tim-Bum, transmitido pela TV Cultura entre 1994 e 1997, é o programa de maior sucesso veiculado por uma emissora pública brasileira. A unanimidade da crítica, a conquista de diversos prêmios nacionais e internacionais, e, principalmente, o imediato sucesso de público atestaram que nascia ali um marco na história da produção audiovisual brasileira que ia além do público infantojuvenil, e ganharia admiradores de ao menos três gerações.

O Closet Online conversou com André Sturm, curador da exposição, e Cinthya Rachel, a Biba, sobre os 20 anos doprograma, a exposição e o momento.

“Desde o início, pensamos na exposição como um tributo a esse programa, que é um grande marco da TV pública brasileira.” (André Sturm, curador da mostra)

Closet Online – Quais os ambientes do Castelo estarão representados na exposição? Teremos a Árvore da Celeste ou o Lustre do Castelo?

André Sturm – Teremos mais de dez ambientes do Castelo recriados – como o saguão, quarto do Nino, a cozinha e a biblioteca, tão marcantes para o público. Além de uma experiência imersiva no mundo do Castelo, os visitantes poderão conferir objetos de cena, maquetes, croquis e figurinos dos personagens, além de bonecos originais dos personagens Gato Pintado, monstro Mau, cobra Celeste e botas Tap e Flap, por exemplo. 

Closet Online – Esta é a primeira exposição 100% criada pelo museu, sabemos também que são 20 anos da estreia do programa, existe algum sentimento de responsabilidade ou autocobrança por juntar dois momentos tão importantes em um mesmo evento?

André Sturm – Claro! Desde o início, pensamos na exposição como um tributo a esse programa, que é um grande marco da TV pública brasileira. Por isso, tivemos o cuidado de recriar com a máxima fidelidade possível os espaços do Castelo, além da recuperação de diversos objetos originais.

Closet – Você acha que a TV de hoje teria espaço para um produto como o Castelo, visto que a programação infantil, até mesmo na TV Cultura, tem perdido cada vez mais espaço e migrado para canais pagos que preferem os enlatados?

Sturm – Acho que esta menor em alguns canais de TV, mas de outro lado existem hoje canais dedicados exclusivamente a essa programação. Acho que um programa com a qualidade do Castelo teria espaço, sim.

Closet – Qual a expectativa de público de vocês para a exposição? E já existe um cronograma de cidades que vão receber a mesma logo após SP?

Sturm – Nossa expectativa é grande, estamos recebendo um grande retorno não apenas da imprensa, mas do público em nossos canais – Facebook, Fale Conosco do site, telefonemas… Após o término da temporada no MIS, a exposição poderá ser exibida em outros locais do país. Não temos nada fechado, mas acreditamos que muitas instituições se interessarão em receber a exposição.

Captura de tela 2014-07-15 21.45.06

Closet – Para encerrar: Que outro sucesso da TV Infantil mereceria uma megaexposição na sua opinião?

Sturm – Vila Sésamo, com certeza!

Mas e qual a emoção de ter feito parte de um dos programas mais emblemáticos da tv brasileira? Cinthya Rachel, que interpretava a personagem Biba, fala com a gente sobre isso:

“Muito do mágico fica por conta de quem assistiu, pra gente era divertido, mas mais real.” (Cinthya Rachel, atriz)

Closet Online – Primeiro uma clichê: Existem muitos pais e mães que tem o sonho de ver os filhos na TV, seja em comerciais ou programas de tv como o Castelo. Como você foi parar lá? Foram muitos testes?

Cinthya Rachel – Comecei com 6 anos em um concurso, fiquei entre as finalistas e entrei em uma agencia, fiz testes, comerciais. Ma época do Castelo eu tinha 12 anos e fazia um pgm na TV Cultura chamado O Professor, me chamaram para o teste e o resto todo mundo sabe, rs.

IMG_3521

Closet – Fazer parte de um programa tão icônico te atrapalhou de alguma forma? Logo após o fim dos inéditos do Castelo eu lembro de você no Turma da Cultura e posteriormente no programa do Netinho de Paula na Record. Mas muita gente ainda te chamava de Biba, como fica a cabeça do ator com isso?

Cinthya – Além de atriz sou jornalista, como trabalho desde nova então fico tranquila em relação a isso. É normal ficar marcado por um personagem.

Closet- Lembro que uma vez assistindo a um canal internacional vi você “falando em espanhol”, na versão traduzida para a América Latina do programa… Você chegou a ser reconhecida fora do Brasil?

Cinthya – Hahahha, também vi uma vez, é bem divertido. Nops, não que eu saiba, rs.

Closet – Qual era o seu personagem preferido no Castelo, tirando a Biba, claro? Como era trabalhar ao lado de tantos personagens mágicos como Mau, Celeste, Godofredo, Tap e Flap, Fura-bolo etc etc?

Cinthya – Acho que o Gato, pq ele morava na biblioteca, rs.
Muito do mágico fica por conta de quem assistiu, pra gente era divertido, mas mais real.

Captura de tela 2014-07-15 22.16.15

Closet  – Pra terminar, essa pergunta vem de uma seguidora minha no twitter: Passarinho, que som é esse? https://www.youtube.com/watch?v=Vrf4mdnOi10… Brincadeira, você toparia fazer parte de um revival do Castelo? Recentemente a série “confissões de adolescente”, que foi outro sucesso da Tv Cultura nos anos 90 ganhou um “remake” no cinema com participação do elenco original, você acha isso legal e possível?

Cinthya – Depende de como fosse feito, acho que seria bem divertido. Sempre tivemos muita química e seria maravilhoso trabalhar com todos novamente.

Serviço:
CASTELO RÁ-TIM-BUM – A EXPOSIÇÃOData 16.07 a 12.10
Horário Terça à sexta: 12h às 21h, Sábado: 10h às 22h e Domingos e feriados: 10h às 20h
Local Espaço Redondo, Espaço Expositivo 1o andar, Espaço Expositivo 2o andar
Classificação etária livre
Ingresso
Início: 16 de julho
Valores: R$10,00 (inteira) R$5,00 (meia)Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 10. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Closet entrevista Leticia Barbieri, figurinista do longa “Os Homens são de Marte … e é pra lá que eu vou”

homens de marteNo finalzinho desse mês a Downtown Filmes irá apresentar uma novidade que promete tirar a galera de casa para ir correndo até o cinema mais próximo. A comédia “Os Homens são de Marte … e é pra lá que eu vou”, conta a história de Fernanda (Martelli), uma mulher bem sucedida e independente que está em busca de um amor. Fernanda aposta tudo em cada relação, se envolve com diferentes tipos de homens – do político sedutor ao hippie gringo – e a cada tentativa acredita ter encontrado seu par ideal.

E nossa equipe conversou com a responsável pelo figurino do filme, Leticia Barbieri, para saber o que a gente pode esperar da caracterização dos personagens. Letícia é figurinista de cinema, teatro, televisão e mídia impressa e já trabalhou em obras como “Bruna Surfistinha” e “O Magnata”.

Closet Online: Como foi desenvolver esse trabalho e como foi o seu processo criativo para ele?

Leticia Barbieri: O processo criativo envolve muita pesquisa, foram 10 semanas de preparação antes de começarmos a filmar. Nessa parte do processo, buscamos inspirações em livros, sites, música e claro, nas pessoas .

É preciso conhecer bem  o universo do filme. Uma boa caracterização (figurino, cabelo e maquiagem), é uma  ferramenta muito importante para ajudar os atores a contar uma história com verdade, e fundamental para a criação dos personagens

leticia barbieri

CO: Quais são os desafios de se criar uma categorização para uma comédia que se passa no período contemporâneo?

LB: O desafio é não cair no clichê, no caminho mais fácil que é o que estamos acostumados a assistir, em novelas ou comédias mais populares.  Procurei dar um tratamento visual mais  caprichado no filme,   não acho que o figurino precisa ser escrachado ou fantasioso sempre em uma comédia.

CO: Qual foi a maior diferença deste para outros trabalhos que você já realizou no cinema como “Bruna Surfistinha” e “Magnata”?

LB: São 3 trabalhos muito diferentes. No Magnata, o universo era o Rock, no Bruna começamos com uma menina rejeitada no colégio, que se transformou na maior prostituta do Brasil, foram várias fases de caracterização

E agora no Marte, falamos de uma mulher a  procura do amor, um tema universal.  Todo mundo se identifica com alguma situação do filme. Essa busca  é uma aventura,  tratada de uma maneira muito engraçada. Mas acho que a característica que mais diferencia esse filme dos outros já feitos por mim, é o romantismo que está presente do começo ao fim.

CO: O que podemos esperar do figurino de “Os Homens são de Marte … e é pra lá que eu vou”?

LB: O resultado é um figurino lindo,  leve e elegante, e em vários momentos, muito divertido.  Tem que assistir, espero que vocês gostem!

Entrevista sobre o figurino do longa “O Menino no Espelho” com Ricca

meninoO cinema nacional irá trazer uma grande novidade em Junho: “O Menino no espelho”, uma adaptação de Guilherme Fiúza Zenha para o livro de Fernando Sabino. O longa conta a história de um menino que descobre diante do espelho a solução para os seus problemas: uma cópia sua para fazer tudo o que ele acha chato, como enfrentar o valentão da escola ou ficar de castigo em casa, deixando o tempo livre para que se dedique apenas a diversão e aventuras.

O filme que é situado em Minas Gerais no final da década de 1930 tem uma imagem marcante e para saber mais a respeito dessa caracterização, conversamos com  o figurinista da obra Ricardo Pereira, mais conhecido como Ricca, que fez uma ampla pesquisa de vestuário, tecidos, padronagens e adornos da época para atender o roteiro do filme. Confira abaixo como foi todo o processo de criação realizado em “O Menino no espelho”:

O projeto O Menino no Espelho surgiu a partir do convite do Diretor Guilherme Fiúza Zenha há mais ou menos 2 ou 3 anos antes de sua realização. Já éramos parceiros de longa data em Belo Horizonte e realizei junto a ele vários projetos dentre eles curta metragens, vídeos institucionais e publicitários. Nos conhecemos no filme ” 5 Frações de uma Quase História”, longa metragem produzido pela Camisa Listrada, aqui em Belo Horizonte, e o Gui foi um dos Diretores deste filme.

Comecei então um longo processo de pesquisa, meses antes do início de produção do filme, vários foram os motivos de tanto empenho e cuidado com o figurino onde o DESAFIO sempre foi a palavra chave por se tratar de uma obra inédita/adaptada para o cinema, isso sem contar a importância que essa obra literária teve no currículo escolar da minha geração e de tantas outras pessoas.

Sempre que comentava com alguns amigos a minha participação neste projeto, eles me diziam: Que legal, li esse livro quando fiz o ensino fundamental! Foi então a partir daí que entendi que, além de especial esse projeto era também um presente que eu estava recebendo vindo reafirmar que o meu tempo nunca foi perdido na minha escolha quando optei em ser figurinista em Belo Horizonte há 13 anos. Confesso que, foram 8 meses de dedicação absoluta e exclusiva, para enfrentar os desafios de colocar em prática após uma intensa e incansável pesquisa histórica e fotográfica onde o foco era retratar a moda o comportamento e atitude da sociedade mineira no final dos anos 30. Tudo foi confeccionado, produzido e reproduzido, aqui na Capital, e na cidade de Cataguases, onde finalizamos todo o figurino, adereços e acessórios, com aproximadamente 1.000 peças em acervo, que o público poderá conferir numa pequena mostra que estará no Ponteio Lar Shopping.

O que fiz com meu primeiro cachê?

Lembra como foi a sensação de gastar o seu primeiro salário? Pois é, muitas vezes a gente gasta tanto que acaba se esquecendo como é gratificante comprar alguma coisa com o fruto do nosso trabalho. E foi pensando nisso que a gente foi atrás dos modelos aqui da SPFW para perguntar o que essa galera fez com seu primeiro cachê, afinal eles são jovens e ainda estão com a memória fresca. Confira as respostas na galeria:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

Closet Online entrevista Jô Fonteles, figurinista de Cine Holliúdy

jo fontelesO longa-metragem Cine Holliúdy retrata de forma divertida, romântica, lúdica e nostálgica as exibições mambembes de cinema no interior do Ceará. E para trazer a memorável história de Francisgleydisson para as telas, foi necessário uma força tarefa da figurinista Jô Fonteles que transformou o figurino do filme em um verdadeiro trunfo. Ambientado nos anos 70, a construção de cada personagem teve em  seu visual um importante momento para marcar a data em que o longa se passava. O resultado é brilhante e para falar um pouquinho de como foi o processo criativo, convidamos Jô para um pequeno bate papo. Confira abaixo:

dsc02785Closet Online: Como você recebeu o convite para desenvolver o figurino de Cine Holliúdy? Qual foi a expectativa inicial para o projeto?

Jô Fonteles: Fiquei muito feliz com o convite, foi muito bom participar desse projeto. Aprendi muito e convivi com pessoas maravilhosas. Sabia que seria um desafio, principalmente por se tratar de um figurino da década de 70.

CO: Qual o processo para a criação do figurino de cada personagem? O Francisgleydisson teve um muso ou alguma inspiração especifica? As camisas dele lembram um pouco o “Augustinho Carrara” de A grande família você usou ele como base?

JF: Depois de ler o roteiro tive muitas conversas com o Halder. Ele me falava dos personagens e de suas características. A partir daí, comecei a pesquisa com minha equipe.

Lendo o roteiro já dava para notar que ele teria esse ar que as pessoas chamam de ” brega”, até pelas músicas que tocariam em algumas cenas… e na década de 70 os tecidos tinham muitos desenhos geométricos, muitas misturas, então aproveitamos para exagerar um pouco…(Risos)

Com certeza o personagem do Pedro Cardoso acaba virando referência. Lembro que quando saíamos para garimpar as peças , a minha produtora sempre falava : “Olha , essa é a cara do Augustinho!” 

dsc06019CO:  Para você, qual é a importância do figurino na produção e contexto dos filmes?

JF: O figurino tem grande importância na caracterização de um personagem. Através da maneira como um indivíduo se veste , você consegue perceber algumas nuances da personalidade dele. A roupa pode dizer muito sobre uma pessoa.

CO: Como se deu, em resumo, o processo de criação do figurino para este projeto?

JF: Além de conversar muito com o Halder,com a direção de arte, vimos filmes da época e usamos fotos de nossos familiares para reproduzir modelagens e criar o estilo de cada um, afinal todo mundo tem uma tia ou prima “ispilicute”. Acabei usando algumas peças do meu pai também, que tem 89 anos, no prefeito, por exemplo… Algumas peças foram garimpadas em brechós e em feiras.

cine_nCO: Além desse sucesso, você tem mais projetos pela frente? E para a continuação você pretende seguir a mesma linha do figurino do primeiro?

JF: Sempre com projetos!O mais recente é a minha segunda graduação. Estou no segundo semestre de Cinema e Audiovisual na UFC. E vou tocando,entre produção de figurinos e documentários. Se houver uma continuação e tiver o prazer de ser convidada novamente; se for a vontade do diretor, sigo a mesma linha! Adorei!

Assista o trailer:

 O filme estréia em São Paulo dia 08 de novembro, mas já está me cartaz em todo o nordeste do país.

%d blogueiros gostam disto:
Powered by WordPress | Thanks to YouTube to Mp3 Converter, free photo editor and WordPress 3.8 Themes