Conheça os maquiadores oficiais das marcas brasileiras de maquiagem

Conheça os maquiadores oficiais das marcas brasileiras de maquiagem

Você chega nas lojas e encontra aquelas maquiagens lindas, em coleções magníficas, com a escolha perfeita dos tons e texturas Mais »

HAIR BRASIL chega a 16ª edição apresentando novidades de 900 marcas expositoras e com 200 eventos educacionais

HAIR BRASIL chega a 16ª edição apresentando novidades de 900 marcas expositoras e com 200 eventos educacionais

A 16ª edição da HAIR BRASIL – Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética acontece de 21 a 24 de Mais »

Diversidade cultural: Conheça as diferentes festas de carnaval do país

Diversidade cultural: Conheça as diferentes festas de carnaval do país

Estamos a pouquíssimo tempo de iniciar o carnaval (os mais adiantados já estão caindo na folia) e se tratando da Mais »

#Teste: Quem é você no Carnaval?

#Teste: Quem é você no Carnaval?

Chegando o carnaval, e os preparativos parecem infinitos. Entre os mais imprescindíveis, paira a dúvida: qual fantasia tem mais a Mais »

Fantasia de Carnaval: Faça Você Mesmo

Fantasia de Carnaval: Faça Você Mesmo

Estamos há uma semana do feriado mais alegre do ano! E pra você que cansou de comprar fantasia e quer Mais »

Confira uma lista com 11 itens indispensáveis para o carnaval

Confira uma lista com 11 itens indispensáveis para o carnaval

Esse ano a nossa equipe resolveu caprichar nas dicas para a galera aproveitar o carnaval cheio de estilo. E como Mais »

Projeto Lab abre o inverno 2014 da Casa de Criadores

cover beleza cdc dia 1

Tarcísio BrandãotarcisioCom inspiração na obra de artistas que transmitiam o sentimento do trabalhador brasileiro, como Sebastião Salgado e Candido Portinari, o estilista se preocupou em levar à passarela mais superfícies trabalhadas artesanalmente e não tantas formas. A última corrida do ouro, em Serra Pelada, e a exploração no Rio Xingu serviram de referência para as peças da coleção slow fashion, já que a marca desfila apenas uma vez por ano. Na confecção, várias técnicas de construção foram utilizadas; em destaque os tricôs e os pontos de máquina para a elaboração das texturas exclusivas. “The Golden Age of BraSil” encantou a plateia com sua harmonia e a expressiva crítica à extração exagerada de matéria-prima no país desde a época colonial. Brandão olha para os brasileiros que sofrem com a pobreza e que são oprimidos por parte de outros homens. As mulheres, em sua coleção, representam o tesouro, a riqueza e ostentam a sofisticação do verão na beleza, enquanto a ala masculina, rústica, caracterizada com timidez e melancolia, reflete no semblante a aura lúgubre invernal. Nos tecidos, optou por construir grafismos indígenas manuais em meio às várias nuances de dourado.

Rafael Caetano rafael caetanoA ponto de tornar os espectadores boquiabertos, o estilista trouxe à passarela o requinte e o ótimo acabamento, que partiram da inspiração esportiva. O início para a elaboração da coleção veio da ginástica artística e suas vertentes, como a dança, as acrobacias, as pausas estáticas do corpo no ar e a forma dos aparelhos. Caetano optou por utilizar micro lãs, tecidos leves, tiras de nylon e amarrações na confecção dos tecidos para remeter à musculatura, à força exigida nos esportes, com sarjas resinadas, tecidos tridimensionais, muitas mangas, detalhes discretos em couro, espuma, neoprene e mousepad como ideia de desconstrução das peças. A pesquisa também transitou pela queda no esporte, com a fatalidade retratada em tons escuros e uma cartela de cores que envolveu falsos pretos, cores sujas, cinza, chumbo e pontos de dourado, como alusão ao ouro olímpico. As peças ostentaram muito elástico, na intenção de mostrar a forma do corpo e zíperes com argolas, sem contar os acessórios em madeira, mochilas e styling em referência ao hipismo como imagem de moda. Os rapazes pareciam sair de salas de exercícios e a beleza feminina foi ostentada em detalhes semelhantes às ferraduras dos cavalos.

Kaue BuenokaueBreve, o estilista se inspirou no universo do vestuário masculino na elaboração de suas peças femininas. Os tecidos de alfaiataria e as formas retas, nada leves, incrivelmente geométricas e volumosas, com cores fechadas, numa cartela mais-que-enxuta levaram o torpor a quem assistia ao desfile. Bueno acreditou que por o evento se tratar de um projeto experimental, dedicar-se a conceber novas ideias para a coleção seria o verdadeiro diferencial. Ousou em formas proeminentes e ombreiras bem destacadas que ocultavam a silhueta feminina sem perder a sua essência.

Gefferson Villa NovageffEm “Corpos que se Movimentam e Roupas que se Integram à Cena Urbana”, o estilista mesclou o design dos carros das décadas de 50 e 60, ao visual das grandes metrópoles e sua arquitetura inebriante em meio às milhões de pessoas indo e voltando, e personificou a palavra “mistério” numa pesquisa que revelou a coruja, como espelho da escuridão.  Com perceptível preocupação com a sustentabilidade nas peças, toda a coleção surgiu do reaproveitamento de materiais, que deram forma ao corpo e movimento à modelagem, em recortes alternativos que eliminavam a costura. A vestimenta como parte da cidade tomou conta da passarela com muito rock, street  e o luxo misterioso da mulher nômade, misteriosa, forte, motocycler e colorida, graças à parceria com o beauty artist Max Weber. Villa Nova mostrou a que veio sem deixar a platéia perder o interesse e conseguiu.

Por Douglas Guerra

Fotos: Namídia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Powered by WordPress | Thanks to YouTube to Mp3 Converter, free photo editor and WordPress 3.8 Themes